top of page
4931029.jpg

CRUZEIRO DO CEMITÉRIO | ENTENDA O SIGNIFICADO E A IMPORTÂNCIA DESSE PONTO DE FORÇA

Atualizado: 21 de abr. de 2023

Hoje o assunto parece um pouco macabro e assustador, mas creio que muito interessante e informativo também.


Eu estava conversando com uma pessoa que o filho dela estava tendo algumas visões em casa, e ela me falou que ele foi no Centro de Umbanda e pediram para ele acender uma vela no cemitério e fazer uma oração.


Então eu disse para ela que o melhor lugar para fazer isso era no CRUZEIRO DO CEMITÉRIO e ela me perguntou:


-E como é que eu vou saber onde fica o cruzeiro do cemitério?


Nesse momento meu pensamento se voltou para o meu passado e eu me dei conta de que, por mais que pareça óbvio para mim hoje, eu mesma já fiz essa pergunta quando comecei a frequentar um Centro de Umbanda.


E você?


Sabe onde fica o Cruzeiro do Cemitério?


Sabe qual a sua força e para que ele serve?


Você sabe como entrar e sair de um cemitério e por que fazemos certos trabalhos ali?


Você sabia que o melhor dia para fazer um trabalho para as almas é na segunda-feira?


Enfim... Você sabe o que é um trabalho para as almas por que fazemos?


Então venha comigo que eu vou te levar para um passeio no CAMPO SANTO!

CAMPO SANTO


O termo "campo santo" é uma expressão antiga utilizada para se referir a um cemitério, e pode ser traduzido como "campo sagrado" ou "campo consagrado".


Essa expressão provavelmente se originou da crença de que o cemitério é um lugar sagrado onde os corpos dos mortos são enterrados e seus espíritos repousam.


Ao longo da história, muitas culturas em todo o mundo desenvolveram crenças e rituais associados aos cemitérios, e muitas vezes esses locais eram considerados sagrados ou consagrados.

Assim, o termo "campo santo" era frequentemente utilizado para se referir a esses locais.



Embora o termo "campo santo" possa ser considerado antiquado hoje em dia, ainda é utilizado por algumas pessoas e em algumas comunidades para se referir a um cemitério, especialmente aqueles que têm uma forte tradição religiosa ou espiritual.


CALUNGA GRANDE E CALUNGA PEQUENA


Antes de prosseguirmos quero citar aqui para vocês outro termo muito usado para se referir ao cemitério: CALUNGA.


Calunga Pequena é usado para se referir ao cemitério enquanto que Calunga Grande é usado para se referir ao mar.


Isso se deve à crença de que o mar é um lugar sagrado, onde as almas dos mortos podem descansar e onde os espíritos da natureza habitam.


O CRUZEIRO DO CEMITÉRIO


Vamos agora ao assunto central do nosso texto: o cruzeiro.


O Cruzeiro é um elemento importante em muitos cemitérios, especialmente em países com tradição cristã.


Ele geralmente é colocado no ponto mais alto do cemitério, e serve como um símbolo de fé e esperança para os que ali visitam seus entes queridos.


O Cruzeiro representa a crucificação de Jesus Cristo, que é considerado pelos cristãos como um símbolo máximo de sacrifício e amor.


Ele também simboliza a crença na ressurreição e na vida eterna, oferecendo conforto e paz para aqueles que estão em luto.

Além disso, o Cruzeiro pode servir como um ponto de referência para os visitantes do cemitério.

Muitos cemitérios são grandes e podem ser confusos, especialmente para aqueles que não estão familiarizados com o local.


O Cruzeiro ajuda a identificar a entrada e a saída do cemitério, facilitando a orientação dos visitantes.

O Cruzeiro é um símbolo religioso importante e uma referência visual que ajuda a guiar os visitantes em um cemitério.


Ele pode ser um ponto de conforto e esperança para aqueles que estão em luto, além de representar a crença na vida eterna para muitos cristãos.


O QUE OS UMBANDISTAS FALAM SOBRE O CRUZEIRO DO CEMITÉRIO

Na Umbanda, o Cruzeiro do Cemitério é visto como um símbolo sagrado que representa a conexão entre o plano terreno e o espiritual.


Ele é considerado um ponto de referência espiritual, que ajuda os guias e protetores do cemitério a se comunicarem com os espíritos que ali habitam.

Para os umbandistas, o Cruzeiro é visto como um ponto de energia espiritual, que ajuda a manter o equilíbrio e a harmonia no cemitério.

"Ele é considerado um local sagrado, onde os guias e protetores da Umbanda se conectam com os espíritos e realizam seus trabalhos espirituais".

Além disso, o Cruzeiro também é visto como um ponto de proteção, onde os espíritos que não encontram paz no plano terreno podem encontrar refúgio e proteção.


Leia Também: MAGIA NEGATIVA PEGA?


Os guias e protetores da Umbanda são encarregados de proteger e cuidar desses espíritos, ajudando-os a encontrar a luz e a paz que procuram.


AS 13 ALMAS BENDITAS DO CEMITÉRIO:


As 13 Almas Benditas do Cemitério são consideradas entidades espirituais na Umbanda.


De acordo com a crença umbandista, essas entidades são consideradas poderosas protetoras e guias dos espíritos que habitam os cemitérios.

As 13 Almas Benditas do Cemitério são vistas como espíritos iluminados e benevolentes, que trabalham para ajudar aqueles que buscam sua orientação e proteção.


Elas são consideradas capazes de trazer cura, proteção e iluminação espiritual para aqueles que as invocam com fé e respeito.

Na Umbanda, as 13 Almas Benditas do Cemitério são frequentemente invocadas em rituais espirituais, especialmente em trabalhos de cura, proteção e libertação de espíritos presos no plano terreno.


Elas são vistas como guias e protetoras dos espíritos que ainda estão presos no cemitério, ajudando-os a encontrar a paz e a luz espiritual que procuram.


Em todos os cemitérios encontramos as 13 almas benditas e em todos eles podemos pedir auxilio para elas, porém, temos também as 13 almas benditas do Edifício Joelma.


Vou falar a seguir.

13 ALMAS BENDITAS DO EDIFÍCIO JOELMA


O Edifício Joelma foi um arranha-céu de 25 andares localizado no centro da cidade de São Paulo, no Brasil.


Foi construído em 1970 e, infelizmente, tornou-se famoso por um terrível incêndio que ocorreu em 1º de fevereiro de 1974, deixando um saldo de 191 mortos e 300 feridos.

Durante o incêndio, nos escombros do Joelma foram encontradas treze pessoas que tentaram escapar por um elevador, mas não foram bem sucedidas.


Seus corpos, não sendo possível de serem identificados foram sepultados em uma mesma ala no Cemitério São Pedro (Vila Aplina - SP) com a lápide “As Treze Almas” .


Tempos depois, um zelador e alguns visitantes do local alegaram ouvir gritos vindos dos túmulos.


A solução encontrada por eles foi jogar água nas covas, no intuito de apagar o fogo do incêndio no qual eles morreram para “aliviar a dor dos mortos”, eles jogaram água nos túmulos (já que as pessoas morreram queimadas) e os gritos cessaram.


O cemitério atrai devotos que dizem ter recebido graças, das tais almas, e costumam deixar copos de água em cima das sepulturas.

O túmulo das 13 almas do Edifício Joelma é uma das atrações mais visitadas do cemitério da Vila Alpina.


É um lugar onde as pessoas vêm para prestar homenagem às vítimas do incêndio e refletir sobre a tragédia.


Além do túmulo das 13 almas, o cemitério da Vila Alpina também abriga os túmulos de outras pessoas famosas e históricas, incluindo o maestro Zezinho, o cantor e compositor Adoniran Barbosa e a atriz Vida Alves.


O cemitério da Vila Alpina é um lugar tranquilo e sereno, com belas árvores e jardins bem cuidados.


É um local onde as pessoas podem encontrar paz e conforto enquanto prestam homenagem aos seus entes queridos ou aos que se foram em tragédias como a do Edifício Joelma.


A LINHA DAS ALMAS NA UMBANDA


A "linha das almas" é uma das linhas de trabalho da Umbanda, que se dedica ao auxílio e à orientação dos espíritos que estão em sofrimento e necessitam de ajuda espiritual.


Essa linha tem como objetivo trabalhar para que esses espíritos possam evoluir e seguir em sua jornada espiritual.


Dentro da Umbanda, não há um único Orixá que seja responsável pela linha das almas, pois essa linha de trabalho é composta por espíritos que se dedicam ao trabalho de caridade e auxílio espiritual.



No entanto, alguns orixás podem ser cultuados ou invocados durante os rituais e trabalhos realizados nessa linha, como: Omolu, Obaluaê, Oxalá, e Nanã Buruquê.


É importante lembrar que a Umbanda é uma religião que valoriza a diversidade e a pluralidade, e que o trabalho espiritual é realizado em conjunto por diversos espíritos, independentemente de sua origem ou religião.


"Cada terreiro e cada linha de trabalho pode ter suas próprias práticas e tradições, que são respeitadas e valorizadas dentro da Umbanda".



PRETOS VELHOS:


Na Umbanda, os "pretos velhos" são entidades espirituais que representam a sabedoria e a experiência acumulada ao longo de várias encarnações.


Eles são considerados como ancestrais espirituais que oferecem aconselhamento, orientação e cura para aqueles que os procuram.


Os pretos velhos são frequentemente associados à linha das almas na Umbanda, porque possuem a sabedoria e a experiência necessárias para auxiliar os espíritos que estão em sofrimento e precisam de ajuda para superar seus problemas.


Eles utilizam sua sabedoria e sua experiência de vida para orientar e aconselhar esses espíritos, ajudando-os a superar suas dificuldades e seguir em sua jornada espiritual.

Os pretos velhos também são conhecidos por serem muito amorosos e compassivos, e por terem uma grande capacidade de empatia e compreensão.


Eles são capazes de compreender as dificuldades e as angústias dos espíritos em sofrimento, e de oferecer-lhes o apoio emocional necessário para superar seus problemas.


Além disso, os preto velhos são considerados como guardiões da cultura e da tradição africana, e são valorizados dentro da Umbanda por sua capacidade de preservar e transmitir essas tradições.


Eles representam a conexão entre o passado e o presente, e ajudam a manter viva a cultura e a história dos povos africanos que foram trazidos para o Brasil como escravos.


Os pretos velhos trabalham na linha das almas na Umbanda por sua sabedoria, experiência, amor e compaixão, oferecendo orientação, aconselhamento e cura para aqueles que precisam de ajuda espiritual.


COMO ENTRAR EM UM CEMITÉRIO:


Antes de qualquer coisa, peça licença!


Sim, é importante pedir licença antes de realizar qualquer tipo de trabalho espiritual ou oferenda no cemitério.


Isso porque o cemitério é considerado um local sagrado e é habitado por espíritos que ali repousam, muitos dos quais ainda estão em processo de evolução espiritual.

Para pedir licença, é comum fazer uma oração ou prece, solicitando a permissão e a proteção dos espíritos que ali repousam, bem como dos guardiões e entidades espirituais que atuam no local.


É importante fazer isso com respeito e devoção, demonstrando humildade e gratidão.


BOAS PRÁTICAS PARA REALIZAR UM TRABALHO NO CEMITÉRIO:


Antes de fazer uma oferenda no cemitério, é importante lembrar que essa prática deve ser realizada com respeito e devoção aos espíritos que ali descansam.


Algumas orientações básicas que você pode seguir para realizar uma oferenda no cemitério incluem:

  1. Conheça as regras do cemitério: Antes de fazer a oferenda, certifique-se de que você está ciente das regras do cemitério. Algumas restrições comuns incluem o tipo de material que pode ser utilizado nas oferendas e o horário permitido para a visitação.

  2. Escolha os materiais adequados: Para fazer uma oferenda, você pode utilizar velas, flores, frutas, bebidas e outros objetos simbólicos. Certifique-se de escolher materiais adequados e de qualidade para a oferenda, evitando materiais que possam poluir ou prejudicar o ambiente.

  3. Respeite as crenças e tradições locais: Em alguns locais, existem crenças e tradições específicas relacionadas às oferendas no cemitério. Certifique-se de conhecer e respeitar essas crenças e tradições, evitando ofender ou desrespeitar os espíritos que ali descansam.

  4. Faça a oferenda com respeito e devoção: Ao fazer a oferenda, mantenha uma atitude de respeito e devoção, concentrando-se em suas intenções e pedidos. Procure manter uma postura humilde e agradecida, demonstrando gratidão e reverência pelos espíritos que ali repousam.

  5. Faça a limpeza do local: Ao final da oferenda, certifique-se de fazer a limpeza do local, retirando os materiais utilizados e deixando o ambiente limpo e organizado.

Lembre-se de que a oferenda no cemitério é uma prática que deve ser realizada com respeito e devoção, e que cada pessoa pode ter suas próprias crenças e tradições relacionadas a essa prática.


Se você tiver dúvidas ou preocupações, procure orientação e aconselhamento com um líder espiritual ou com pessoas que já têm experiência na realização de oferendas no cemitério.


Além disso, é importante lembrar que o cemitério é um local público e pode haver restrições ou normas estabelecidas pelas autoridades locais para a realização de trabalhos espirituais ou oferendas.


Por isso, é sempre recomendável verificar com antecedência as regras e regulamentos do cemitério e, se necessário, solicitar autorização para realizar o trabalho espiritual ou oferenda.

Gostou do nosso artigo! Compartilhe com amigos que precisa saber....


Até o próximo post...


Me siga nas minhas outras redes sociais e fique por dentro de tudo...











147 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Terapia Orixás
bottom of page